NUTRIÇÃO DE GALINHAS NO SISTEMA CAIPIRA

Clique⇒OFERTAS EM COMPONENTES DA RAÇÃO E RESULTADOS CALCULADOS PDF

Clique⇒EXIGÊNCIAS NUTRICIONAIS POR FASES PARA POEDEIRAS LEVES PDF

Clique⇒BALANCEAMENTO PDF
galinha-pintinhos_2_display

O conteúdo desta matéria destina-se aos pequenos criadores de galinhas em sistema não confinado,seja para produção de ovos ou de pintinhos .

INTRUDUÇÃO:

Resultados positivos em avicultura estão condicionados aos seguintes fatores: GENÉTICA,MANEJO,SANIDADE,PRODUTIVIDADE, e por último, o mais importante,NUTRIÇÃO.A nutrição é o fator mais importante porque incide direta ou indiretamente nos outros.Sem nutrição adequada não há sanidade,longevidade,boa transmissão genética e produtividade,resumindo não há lucro.

Todos os trabalhos,manuais,cursos e literatura pertinentes a que já tivemos acesso,ressaltam a importância deste item,porem com raras exceções ,abordam o assunto como um capítulo ou tópico,não entrando nos detalhes indispensáveis desta matéria.Invariávelmente orientam o criador a consultar um técnico especializado na área,como se estes profissionais se encontrassem disponíveis a qualquer um e com honorários acessíveis ao pequeno criador.O que tentaremos aqui,sempre pautados em fontes técnicas de conhecimento,é disponibilizar uma metodologia simples e ao alcance de qualquer um,que possibilite conduzir uma alimentação adequada para suas aves.A matéria é muito complexa e extensa,zootécnicos e outros profissionais da área utilizam programas de computador(softwares) que processam todas as informações e produzem resultados detalhados,porem são onerosos e difíceis de utilizar,é para os profissionais.Existem no entanto,métodos manuais práticos,com uso de uma simples calculadora e algumas tabelas, que embora mais trabalhosos,permitem a qualquer um com um pouco de paciência conseguir resultados,que se não tão exatos,plenamente satisfatórios para a finalidade a que se destinam.

Galinhas são uma das mais perfeitas conversoras de nutrientes primários em alimentos de primeira qualidade para o ser humano (carne e ovos),perdendo somente para a vaca leiteira.

É cientificamente comprovado que qualquer ser vivo destinado a produção tem exigências nutricionais que lhe permitam o desenvolvimento e a manutenção do próprio organismo e a produção,ao que se chama conversão alimentar.

Por definição em dicionário temos: RAÇÃO

ra.ção

sf (lat ratione) Porção de alimento que se calcula necessária para o consumo diário ou para cada refeição de uma pessoa ou de um animal. Dar de ração: dar alguma coisa por conta, peso e medida. Estar de meia ração: receber só a metade da ração ou dos vencimentos.

Quando se fala em ração,é comum logo se imaginar um saco cheio de substância desconhecida e repleta de componentes tenebrosos,hormônios e produtos químicos prejudiciais.Antes de entrarmos no assunto,é preciso rever TOTALMENTE este conceito,e se concentrar exatamente na definição pura e simples do que é ração.

Basicamente,as exigências nutricionais animais são determinas por : Energia Metabolizável/Proteína Bruta/Aminoácidos/Sais/Minerais/Vitaminas,em quantidades compatíveis entre sí,de forma a proporcionar equilíbrio destes fatores em qualquer porção do alimento ingerido,a isto se denomina BALANCEAMENTO.Formulações não balanceadas resultam em desequilíbrio nutricional,com resultados imprevisíveis.

Muitas são as possibilidades de alimentos a serem fornecidos para galinhas,porem por questões de disponibilidade,custo,conhecimento específico das propriedades,processamento e eficiência efetiva,no Brasil a nutrição avícola está fundamentada em três cereais : MILHO,SOJA e TRIGO,sendo o milho alimento fornecedor de energia,a soja fornecedor de proteína e o trigo,um pouco de cada e teor de fibras.O SORGO,possui propriedades nutricionais similares as do milho,com custo menor,porem para galinhas caipiras não consideramos esta aplicação,devido a ausência de xantofila e consequente descoloração das gemas,além de alguns efeitos negativos para a casca dos ovos.Para galinhas caipiras é desejável o fornecimento de verduras diversas,frutas,raízes e folhas,porem cabe observar que estes alimentos somente contribuirão para o incremento de xantofila , carotenos,algumas vitaminas e minerais porventura aí contidos,devendo ser considerado como um suplemento na alimentação e não como parte efetiva da mesma.Isto deve-se ao fato de ser praticamente impossível determinar exatamente os teores e características de conteúdos destes elementos.*Ao contrário do que se acredita,capins(com algumas exceções) não são benéficos e nem nutricionalmente aproveitáveis por galinhas,produzindo efeitos indesejáveis de digestibilidade ,prestando-se apenas a preservação do solo no local onde são criadas (Fonte:Embrapa).

CONHECENDO OS COMPONENTES NUTRICIONAIS:

ENERGIA:Para que serve?

Crescimento,produção de ovos,movimentos musculares,manutenção da temperatura corporal,respiração,trabalho do coração,funcionamento do aparelho digestivo,síntese de compostos e processos digestivos.

PROTEÍNAS: Para que servem ?

Formação de músculos,tecidos,sangue,penas,ovos,anticorpos,enzimas,hormônios,reposição de tecidos.

AMINOÁCIDOS: Para que servem ?

São moléculas orgânicas indispensáveis para a formação das proteínas,atravéz de suas ligações.Existem 23 tipos de aminoácidos formadores de proteínas,dos quais 13 são essenciais para aves.Estes,devem ser fornecidos na alimentação pois seu organismo não consegue sintetiza-los.São : Arginina,Fenilalanina,Glicina,Tirosina,Histidina,Leucina,Isoleucina,Lisina,Metionina,Treonina,Cistina,Triptofano e Valina.

MINERAIS: Para que servem ?

Fósforo: Formação de ovos,ossos,PH do sangue

Sódio: Pressão osmótica do sangue e PH dos fluídos corporais

Cloro: Formação do suco gástrico

Cálcio: Formação de ossos,casca dos ovos,esqueleto do embrião

Zinco: Metabolismo do fósforo,calcio e digestão de proteínas

Iodo: Funcionamento normal da tiróide

Manganês: Auxilia a utilização do fósforo.Sua deficiência causa embriões deformados

Potássio: Batimentos do coração

Magnésio: Auxilia o metabolismo do calcio e carboidratos.Seu excesso deve ser prevenido pois é tóxico.Por este motivo NUNCA se deve usar calcáreo dolomítico,que contem grande quantidade deste mineral.

Selênio: Sua deficiência inibe o crescimento

Ferro: Formação da hemoglobina,músculos,fígado,baço e rins

Cobre: Idem ao ferro

VITAMINAS: Para que servem ?

Vitamina A : Tecidos epiteliais,membranas,pigmentos da retina,visão perfeita,músculos normais

Vitamina E : Estrutura do cérebro,sistema reprodutor,paredes capilares,antioxidante

Vitamina K : Coagulação do sangue

Vitamina D : Metabolismo do cálcio e do fósforo,formação dos ossos

Vitamina B2(Riboflavina) : Sistemas enzimáticos do organismo.Sua deficiência ocasiona pintinhos com paralisia,atrofia , diarréia e problemas na penugem

Vitamina B1(Tiamina) : Deficiência causa pintinhos com polineurite (cabeça virada para trás)

Ácido Pantotênico: Metabolismo de carboidratos,proteínas e gorduras.Embriões de aves com deficiência apresentam hemorragia e mortalidade nos últimos dias de incubação

Ácido Nicotínico: Metabolismo de carboidratos.Avescom deficiência apresentam engrossamento dos joelhos,pernas arqueadas,crescimento e empenamento retardados.

Vitamina B6(Piridoxina): Metabolismo de aminoácidos.Deficiência causa problemas no sistema nervoso,convulsões e redução na postura e eclosão de ovos.

Vitamina B12: Deficiência causa crescimento retardado,baixa eclosão,alta mortalidade no sétimo dia de incubação e atrofia das pernas.

Biotina: Deficiência causa rachadura nos pés,baixa eclosão,bico de papagaio,membrana entre os dedos e alta mortalidade.

Ácido Fólico: Deficiência causa anemia.

EXIGÊNCIAS:

Uma vez esclarecido o que são componentes nutricionais e para que servem,deve-se considerar que galinhas tem exigências nutricionais detalhadamente conhecidas.Estas exigências são muito diferentes dependendo da fase de vida,peso corporal da ave,temperatura onde são criadas e se são de corte ou postura.Desta forma não existe ração “genérica” ou simplesmente ração inicial,crescimento,etc.Cada situação é particular e não pode-se fornecer alimentação sem uma análise mais detalhada, sob risco de estar fornecendo algo que a ave não precisa e deixar faltar algo indispensável.

Não se pode dar um tanto disto ou daquilo ou adotar receitas caseiras sem fundamentação técnica,isto pode comprometer todo o plantel.Não faça experiências com suas galinhas,os resultados podem ser desastrosos.Cabe notar que ração não é suplemento ou algo que se forneça uma vez ou outra como medicamento.É a alimentação diária e permanente que deve ser fornecida desde o primeiro até o último dia de vida da ave.Se for devidamente constituída fornecerá absolutamente todas as vitaminas,minerais,nutrientes e aminoácidos exigidos pela galinha,NENHUM suplemento como complexos de vitaminas,pó disto ou daquilo será necessário.Qualquer ave alimentada de forma diferente estará em defict nutricional,com sua produtividade,sanidade e longevidade comprometidos.Alterações importantes na alimentação fornecida ocasionam imediata redução na postura de ovos.

O pequeno criador tem duas escolhas:

Comprar ração comercial pronta ou fabricar sua própria ração.A prática mostra que a fabricação própria é a melhor opção,oferece custo 30% menor do que a comercial e proporciona garantia das propriedades da ração,o que nem sempre é confiável nas rações comerciais.Por mais renomados que sejam os fabricantes,as rações comerciais são formuladas por softwares num computador.Estes programas além de calcular e balancear todos os componentes da ração,também fazem a adequação pelo menor custo.Assim,analisam o custo de cada componente e podem substituí-los por eventuais similares,proporcionando “relativamente” as mesmas propriedades.Por exemplo,se o milho subir de preço,pode ser substituído pelo sorgo,com propriedades semelhantes,porém com zero de Xantofila.De qualquer forma,os níveis de garantia informados nos rótulos de rações,só podem ser confirmados mediante analise em laboratório.

A princípio produção própria de ração pode parecer algo muito complicado e trabalhoso,mas na verdade pode ser feita por qualquer um,sem necessidade de grandes conhecimentos e investimentos,levando-se em conta alguns fatores:

– Os ingredientes são facilmente encontrados em fornecedores locais e lojas de agropecuária.Basicamente são os seguintes: Milho moído,farelo de soja,farelo de trigo,calcário calcítico,fosfato bicálcico,sal comum,núcleo mineral/vitaminas.

– O processamento pode ser por um misturador de rações ou com enxada em piso sêco,dependendo da quantidade.Existem misturadores de pequeno porte cujo custo pode ser amortizado em 10 meses.

– Disponibilidade de fornecimento dos cereais.O principal é o milho,que deve ser de boa procedência,com boas condições de estocagem e umidade.Especial cuidado deve ser tomado neste aspecto,pois milho estocado em condições desfavoráveis desenvolve fungos,que produzem toxinas que podem matar galinhas.Tambem a granulometria da quirera é importante,pois partículas grandes na ração levam as aves a consumi-las seletivamente,deixando para trás os farelos,deve ser quirera fina.

– Não produzir ração em grandes quantidades,pois longos períodos de estocagem (+de 60 dias) ocasionam prejuízos para as propriedades nutricionais,preferencialmente guardar a ração em tambores com tampa ou mesmo caixas dágua de plástico tampadas.

– Acompanhar constantemente o custo de produção obtido.

– Sempre dispor de fornecedores alternativos para cada componente,nunca ficar na mão de um só.

FORMULAÇÃO E CONSUMO DE RAÇÕES:

Outras fontes também foram consideradas:

Sociedade Brasileira de Zootecnia/Lb.Degussa

Sergio Inácio Englert-1986-Eng.Agr.UFRS-Mestre em Ciência em Avicultura (Universidade Wisconsin)

COMPOSIÇÃO DAS RAÇÕES:

Existem vários métodos para se formular rações balanceadas,inclusive softweres que fazem estes cálculos rapidamente de maneira eficiente inclusive com o melhor custo,porém pelo preço só são viáveis para utilização quando se trabalha com grande variedade e quantidade de rações.Para o pequeno produtor o mais recomendável é a utilização do método do QUADRADO DE PEARSON , mais adiante explicado.

Antes de tudo é indispensável o conhecimento das exigências nutricionais específicas das aves ás quais a ração se destina,assim bem como das ofertas nutricionais dos componentes a serem empregados.Todas estas informações estão detalhadamente disponíveis nas TABELAS BRASILEIRAS PARA AVES E SUÍNOS (UFV/EDIÇÃO 2017),trata-se do documento mais completo sobre nutrição animal nas condições brasileiras disponível.

Nos links em azul no topo da página disponibilizamos estas informações para as várias fases de desenvolvimento de POEDEIRAS LEVES DE DESEMPENHO MÉDIO,assim como o método para balanceamento e cálculo de consumo por ave,ressaltando que para aves de corte os valores são diversos.Também convém considerar que existem núcleos(premixes de vitaminas,aminoácidos e vitaminas) específicos para atendimento de cada ração,porém para o pequeno criador,pela quantidade a ser utilizada em cada fase e dificuldade de disponibilidade comercial,sua utilização se torna desinteressante,assim optamos pela utilização de um único núcleo para todas (NÚCLEO POSTURA AC-50 AGROMIX),podendo também serem utilizadas outras marcas,desde que se conheça detalhadamente sua composição.A utilização de uma formulação única pode resultar em pequenos desvios,para mais ou para menos,no atendimeto das exigências,mas de forma geral cumpre o objetivo.