DICAS PARA O PEQUENO PRODUTOR DE OVOS E AVES CAIPIRAS

A produção de ovos e aves caipiras é normalmente desenvolvida por pequenos produtores.

Devido a suas características peculiares esta não é uma atividade para grandes produtores,tanto que poucos aí se aventuram e que certamente por seus procedimentos massivos e industriais acabariam desvirtuando o produto,transformando-o em apenas mais um ícone mercantil,sem a verdadeira essência do ovo e ave caipira.

Alguns anos de experiência nos permitem expor alguns conceitos que acreditamos serem de utilidade para o sucesso de quem já atua no segmento ou pretende iniciar:

* Como se trata de uma atividade mercantil onde se produz e se vende um produto,por menor que você seja tudo funciona como numa multinacional,em micro escala.Tudo deve ser cuidadosamente planejado e permanentemente gerenciado e registrado,sob risco de não se saber se a atividade está sendo compensadora e onde e o que corrigir ou melhorar.

* Sempre ter conhecimento técnico sobre a atividade: Ler muito,pesquisar em fontes fidedignas como universidades e orgãos do governo,fazer cursos (mesmo que estes em vídeo),trocar experiências e informações com outros produtores e pesquisa de mercado.

* Trabalhar com um produto realmente diferenciado,onde a qualidade deve primar.Produzir o que muitos já fazem é entrar num universo de competição onde certamente os grandes engolem os pequenos: Fracasso na certa !

* Mantenha-se pequeno e conduza o negócio de forma estável e sustentável.Não espere ficar rico criando galinhas ! Se a ambição prevalecer ,quebra com certeza.

* Criação não tem dia,hora ou feriado.Exige grande dedicação por parte de quem toca.Também não esqueça do ditado “O olho do dono é que engorda o boi”.Mesmo que disponha de mão de obra que o auxilie sua presença constante é indispensável.

* Ter paciência e persistência,na avicultura nada pode ficar para depois,mas muitas coisas acontecem devagar e os resultados não vem na hora,como por exemplo a conquista de mercado.

* Não fazer as coisas baseado em palpites de terceiros.Fundamentar suas decisões em conhecimento,assim poderá saber onde errou e como melhorar.

* Por menor que seja, para obter lucratividade investimento é indispensável.Não se pode colher sem plantar.Destaco alguns tópicos que julgo de importância:

1- Nutrição representa 70% do custo final do produto,aves ou ovos.A produção própria de rações pode reduzir seu custo em até 30%,mesmo com a aquisição de insumos no comércio.Assim 30% de 70% = 21% de redução no custo.Por muitos anos utilizei rações misturadas manualmente e pude constatar que por melhor que se faça a mistura não fica homogênea,reduzindo  a eficiência de aproveitamento nutricional da mesma.É jogar dinheiro fora.Existem no mercado alguns modelos de misturadores de ração de excelente qualidade com preços e condições que permitem sua aquisição.Obtive retorno do investimento em 10 meses.

2- Criar algumas galinhas no quintal não resulta em lucro,é só trabalho.Para uma produção que possa atender uma clientela com regularidade,indico um mínimo de 200 poedeiras com 15 galos e outro lote em desenvolvimento com 180 dias de diferença.Como o período produtivo de uma poedeira situa-se em +- 60 semanas (20 a 80),após isto torna-se mais interessante descartá-las(com lucro é claro) do que mantê-las produzindo com redução (+- 50%).Após isto será necessário repor o plantel com aquisição de novos pintinhos,o que certamente não fica barato.Um recurso interessante é a autonomia na produção de pintinhos,que pode proporcionar lucratividade adicional,vendendo-os com valor 700% superior ao de um ovo.Para isto é necessária a aquisição de uma boa incubadora.Não adianta comprar uma chocadeira “meia boca” que só trará arrependimento.

3- Na zona rural são comuns as panes no fornecimento de energia elétrica.No caso da incubação de ovos os prejuízos podem ser grandes,pois as concessionárias tem até 7 horas para restabelecer o fornecimento.Neste caso a providência de um gerador de emergência é indispensável.A perda de uma carga de incubação de 500 ovos,por exemplo,causa prejuízo maior do que o custo de um gerador.

4- Após nascerem,os pintinhos não podem permanecer na chocadeira ou nascedouro por muito tempo,e nem podem ser imediatamente transferidos para círculos de criação ou viveiros convencionais por serem muito delicados nos primeiros dias de vida,principalmente no que se refere a temperatura e correntes de ar.Um pinteiro/criadeira com aquecimento possibilitará condições ideais para os mesmos,que aí poderão permanecer por vários dias até a venda ou cria.O investimento compensa pela redução de perdas.

Finalmente é preciso ter em mente que nunca se sabe tudo e na avicultura cada dia é uma nova lição.Não tenha reservas em consultar pessoas que você julgue que tenham mais conhecimento do que você para expor e esclarecer suas dúvidas.A observação nos mostra que as as galinhas também podem nos ensinar bastante.

Boa sorte !